O diretor jurídico da Fenapef, Adair Ferreira dos Santos, esteve no SINDPOLF/SP, no último dia 08 de junho, para uma reunião de esclarecimentos junto aos sindicalizados, que não foram contemplados em nenhuma das três ações dos 28, 86%.

Equívocos ocorridos no curso dessas ações podem ter prejudicado alguns colegas. Contudo, segundo a Federação, essa situação ainda não está definida, já que os advogados adotaram todas medidas cabíveis para reverter o quadro.

Ferreira, que é diretor jurídico da Fenapef desde a gestão anterior, identificou o problema e a Diretoria da Federação, de forma transparente e responsável, foi quem deu publicidade sobre a situação, não se eximindo de eventuais responsabilidades.

Foi emitida nota de esclarecimento pormenorizada sobre todo o fato. Em setembro de 2015, o SINDPOLF/SP replicou a nota e a enviou para os e-mails dos sindicalizados. Também disponibilizou, aqui no sindicato, a lista dos sindicalizados.

O presidente do SINDPOLF/SP, Alexandre Santana Sally, convidou os diretores e presidente da Federação para virem até São Paulo e, em reunião com os colegas, tirarem dúvidas sobre esta situação. Imediatamente, o convite foi aceito pela Diretoria e marcado o encontro.

Sally ressalta, porém, que apesar de aproximadamente 40 colegas de São Paulo estarem nesta situação e mesmo com a boa vontade da Fenapef, do deslocamento do diretor jurídico de Brasília para São Paulo, e da divulgação feita por ele sobre encontro aos interessados, pouco mais de cinco pessoas compareceram.

“Têm colegas com hábito de reclamar que o Sindicato não faz nada, mas quando nos movimentamos para ajudar a resolver uma situação tão grave, como esta, por exemplo, poucas pessoas comparecem. Teve sindicalizado que até cobrou a presença da Federação para falar sobre o problema e no dia não veio. Essa atitude me deixa chateado. As pessoas precisam ter consciência que o Sindicato está aqui para ajudar, mas necessita da participação dos colegas”, disse Sally.