O presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Estado da Bahia (Sindipol-BA), José Mário Lima, criticou, em entrevista ao programa Sociedade Urgente, da Rádio Sociedade da Bahia, nesta terça-feira (15), a política de combate à criminalidade, após dois delegados federais morrerem vítimas nos últimos dias em São Paulo e no Maranhão.

“O aumento da questão da violência lá perpassa por todas as barreiras, limites que existiam. Não há mais tranquilidade nem dentro do próprio lar. Não adianta coloca mais viaturas, efetivos na medida em que estamos em outro patamar. A política de combate à criminalidade da forma que ela se mantém – querendo resolver problemas com remédios antigos – não está dando resultado devido”, afirmou.

José Mário também reprovou a personificação de mortes dos delegados. “Poderia ser um agente, um investigador policial, qualquer cargo. O que está mais em evidência é o recrudescimento da violência, que passou de todos os limites em termo de fronteiras. Não tem com avaliarmos que escolheram a residência porque ali morava um policial federal. Na verdade, não há escolha. O criminoso na maioria dos casos prefere a menor resistência”, disse.

 

Fonte: Bahia Ba