Os olhos de 20 mil pessoas voltaram-se, ontem, ao desfile cívico-militar do Dia da Independência, na Esplanada dos Ministérios. Lotadas, as arquibancadas reuniram patriotas de várias unidades da Federação: dos mais comedidos aos que carregavam na pele e nas roupas as cores da nação. À tribuna de honra compareceu o alto escalão da política nacional e local — entre as autoridades, marcaram presença o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) e o presidente da República, Michel Temer (PMDB). Ao longo de duas horas, apresentações arrancaram, de forma intercalada, aplausos, assobios e até o coro “Fora, Temer”. Às 10h40, contudo, uma performance unificou as reverências: de pé, a plateia se emocionou com o Grupamento Motorizado da Polícia Federal, corporação responsável pela Operação Lava-Jato.
 
Leia mais notícias em Cidades 
De perto, a primeira fila da tribuna de honra acompanhava, entre cochichos, as apresentações. Estavam, além do presidente e do governador, seis ministros, os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), respectivamente; o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho; e a advogada-geral da União, Grace Mendonça. O DF teve poucos representantes na celebração. Segundo o cerimonial do evento, compareceram três secretários e o controlador-geral, Henrique Ziller. A cerimônia de 7 de Setembro custou cerca de R$ 790 mil — R$ 300 mil a menos do que no ano passado.
 
 
A apresentação ocorreu sob calor intenso. Pela manhã, o termômetro marcou 29ºC, e a umidade caiu a 20%. Mas a secura, apesar de fazer com que algumas pessoas precisassem de atendimento médico, não intimidou os brasilienses, que lotaram as arquibancadas antes do evento, iniciado às 9h. Responsável por dar início à cerimônia, o presidente Michel Temer chegou acompanhado da primeira-dama, Marcela Temer, e do filho, Michelzinho, 8 anos — novamente, sem a faixa presidencial e em um carro blindado.
O peemedebista subiu direto à tribuna de honra, onde, após a execução do Hino Nacional, cumprimentou o governador Rodrigo Rollemberg e a primeira-dama do DF, Márcia Rollemberg. O chefe do Executivo local empolgou-se com o desfile. No total, ele fez 22 publicações no Instagram pessoal, além de nove menções ao evento no Twitter.
Divulgação/Polícia Federal 

[Divulgação/Polícia Federal]
 
Em meio aos registros, há um vídeo da aguardada apresentação da Esquadrilha da Fumaça, que se despediu do público com uma performance no céu, realizada por sete aeronaves. Mesmo com o fim dos desfiles, várias pessoas permaneceram na Esplanada dos Ministérios para acompanhar as manobras dos caças da Força Aérea Brasileira (FAB). Para o governador, no entanto, as apresentações de estudantes da rede pública de ensino foram o grande destaque do dia. “Todas as autoridades elogiaram muito a qualidade dos desfiles das escolas de Brasília. Foi extremamente bonito”, elogiou o chefe do Executivo local.


Pirâmide humana

Vinte e sete militares da Polícia do Exército também agitaram o público ao realizarem a tradicional pirâmide humana sobre uma motocicleta a 20km/h. Trata-se de uma pequena amostra do que o grupo é capaz de fazer. O recorde deles — 47 policiais unidos em uma única moto — aparece no Guinness World Records. Tropas motorizadas da Marinha do Brasil, do Exército, da Aeronáutica e de forças de segurança do DF também passaram pelo Eixo Monumental. O desfile contou com 4,2 mil participantes. Seiscentos policiais militares ficaram a cargo da segurança da celebração.

 

"É hora de pensar na cidade. Quem o fizer, certamente, apoiará a aprovação desse projeto (previdência), para que Brasília possa viver um novo tempo” Rodrigo Rollemberg, governador

 

20 mil
Público que passou pela Esplanada dos Ministérios durante o desfile

 

25 mil
Total de pessoas que acompanharam a apresentação de 2016


4,2 mil
Quantidade que se apresentou no desfile cívico-militar


600 
Efetivo da PM responsável pela segurança do evento

 

200 
Manifestantes que participaram do Grito dos Excluídos